22 de fev de 2011

Amigo de papel"

Desde criança eu sempre gostei de escrever, não tinha coragem de falar o que sentia, mesmo que fosse por um simples amigo.

Aí então ganhei um presente, um “Amigo de papel”.Com ele me sentia segura de guardar meus segredos. Desde então ele foi meu único amigo. Nele confiava meus silêncios. E “todos” os episódios da minha vida.

O meu amigo é muito triste, suas entrelinhas são compostas de amores perdidos, paixões mal resolvidas, mas, nunca de um episódio esquecido. Isso porque geralmente só escrevo quando fico triste, porque ele é o único amigo que me escuta e não se cansa, quando estou assim.
Não gosto de ocupar mentes pequenas com meus grandes problemas, existem pessoas incrédulas demais para entenderem o que se passa em um coração esquecido, torturado e enganado.

Com ele estão todos os silêncios e desavenças de uma vida, que tem receio de si mesma.
No meu amigo estão gravadas todas as cartas que eu nunca tive coragem de mandar, por medo de seu destino.

E até hoje ele guarda como se fosse sua as minhas lembranças!


Lú*

Um comentário:

  1. Olá, menina!
    parabéns pelos escritos, fiquei admirado com seu potencial e pouca idade!
    com esse talento, vc vai muito longe, continue!
    voltarei com frequencia! :)

    ResponderExcluir

Suas palavras para mim são muito importante!!
Esteja a vontade em comentar, a honra é toda minha!!
Obrigada!
E volte sempre!!